Fragmentos de Amor. Fim.

Era mais uma noite solitária, se não fossem alguns detalhes: a música, o tempo chuvoso, o clima bucólico. Esse conjunto de fatores trouxe flashs, lembranças e muita saudade. Do frio na barriga pelo nosso milésimo encontro, do abraço confortável no fim do mais cansativo dia, da sua entrega na hora do beijo e o descanso em seus braços.

A ficha não caiu. Não era sonho. A sua presença era tão real, que incomodava. O silêncio esvaziou minha expectativa. Deu vontade de reviver aqueles bons momentos novamente. Ou, como sempre reforço, dos pequenos – embora grandiosos – fragmentos de amor, afeto e proteção. Do sorriso doce ao me desejar boa noite, acompanhado de um encontro delicado dos nossos lábios.

É difícil não sentir falta do calor do seu corpo quando encostava no meu, antes de repousar nos braços de Morpheu. A trilha sonora, geralmente escolhida por ele, me ajudava a repousar. Todos os problemas do mundo, tinham fim bem ali. E aquele afago gostoso em minha nuca naquele momento de quase dormir. Eu nunca esqueci.

Na verdade, todos os gestos pareciam sincronizados e ritmados. Havia uma troca de sentimentos, energias e calores, bastava um leve toque. Era fusão e efusão. Nesses momentos, o peito quase estufava de boas vibrações e o meu sorriso bobo externava o meu contentamento, a minha paixão. Depois da renúncia, a rendição. Ao mesmo, enquanto o nosso olhar se enamorava, a gente se amava.

No meio da madrugada, um misto de emoções. Era uma sensação inexplicavelmente maravilhosa, que me confundia sobre o que me dava mais prazer: seria o riso, os carinhos ou os sussurros? Não, talvez, fosse o conjunto. Me tomava por aqueles fragmentos de amor. Até ali, não sabia que o melhor – e o pior – ainda estavam por vir.

Nossa, aquele sorriso ao amanhecer iluminou o meu dia. Pena que, pouco depois, fora acompanhado de afagos, abraços e a inevitável despedida. O nosso melhor momento, capturado e guardado para sempre em minha memória, virou adeus. E, desde então, algo nunca mais mexeu comigo de tal maneira. Despedidas são tristes e sofridas. Mas, essa foi muito pior, foi fatal. Apagou aquela chama do amor. Porém, a faísca permanece em mim, preciso reacendê-la por aí.

FIM.

image