inferência da madrugada…

Sou àquele tipo de pessoa que prefere rir que chorar. Mesmo que, muitas vezes, o riso abafe o choro contido. O sorriso se dissipa durante o dia permeando pessoas e lugares. Enquanto as lágrimas rolam durante a solidão da madrugada. 

Não gostaria que as coisas se invertessem. Na vida, existem os dias de risos e lágrimas. Porém, que as aparências não prevaleçam diante daquilo que está submerso. Apenas que a dor dê lugar à felicidade plena…

Anúncios

O amor é uma via de mão dupla?

Hoje, em uma conversa com um amigo sobre relacionamentos e seu atual estado emocional, ele disse uma frase que não me saiu da cabeça. “Nem sempre amar é uma via de mão dupla, às vezes a beleza está no que você sente e pode transmitir, muito mais do que pode esperar em troca”, disse ele. Achei sensacional, profundo e extremamente poético, mas rapidamente me questionei: será que dedicaríamos nosso tempo por alguém que não tivesse sentimento recíproco ou objetivos semelhantes?

No campo do amor, do sexo e das relações creio que essa discussão seja muito mais ampla e complexa. Muitas vezes buscamos razões para acreditar no que estamos verbalizando, muito embora eu acredite que na verdade todo mundo quer amar e ser amado na mesma proporção. Ao menos que as ações e atitudes demonstrem reciprocidade. Vejo como um grave problema dos relacionamentos as indagações, a insegurança e o medo. Será que o outro lado deseja tanto quanto eu? Será que sente o mesmo? É difícil responder e entender essas questões. Até porque cada um ama, gosta e até sofre de maneira diferente do outro. Acho que vale a pena correr riscos da trajetória. O sentimento mútuo virá. É apenas uma questão de tempo.